Nova técnica para detectar cancro vai ajudar!

O bastonário da Ordem dos Médicos admitiu hoje que a técnica desenvolvida por um investigador português para detectar cancros mais cedo poderá ajudar no futuro e lamentou os cortes financeiros que têm sido feitos nos projectos de investigação.

“No futuro poderá revelar-se numa ajuda no diagnóstico precoce no cancro, mas tem de se prosseguir a investigação para confirmar esse potencial”, disse José Manuel Silva, em declarações à agência Lusa.

O bastonário considerou ainda ser um “orgulho e uma satisfação” o facto de se tratar de um processo de investigação científica desenvolvido por uma equipa liderada por um português, referindo tratar-se de um exemplo que demonstra o “potencial de inovação, invenção e investigação” existente em Portugal.

“Infelizmente [este potencial de investigação] está a ser desaproveitado por força dos cortes financeiros que estão a ser colocados às universidades”, criticou o responsável.

Um cientista português desenvolveu uma técnica que “provou conseguir detectar mais cedo e com maior precisão” o cancro, um feito que consta de um artigo publicado domingo na revista Nature Medicine.

Tiago Rodrigues trabalha na Universidade de Cambridge e a sua equipa partiu da constatação de que uma das características fundamentais de qualquer cancro é a multiplicação descontrolada das células anormais que o constituem.

“Este crescimento anormalmente rápido implica que a maioria dos tumores utiliza muito mais glicose (a principal fonte de energia do corpo) que os tecidos normais”, explica fonte da universidade que está a divulgar a descoberta.

Lusa/SOL

By cancrovsvidab

Búlgaros confirmam tratamento ao cancro do colo do útero testado em Coimbra!

 

foto BRUNO SIMÕES CASTANHEIRA/GLOBAL IMAGENS
Búlgaros confirmam tratamento ao cancro do colo do útero testado em Coimbra

Investigadores búlgaros demonstraram a eficácia de um tratamento à base de um cogumelo no combate ao cancro do colo do útero, confirmando os resultados de um estudo iniciado em Coimbra, disse, este sábado, o médico José Silva Couto.

O ginecologista, que trabalha atualmente no setor privado, afirmou à agência Lusa que o tratamento com um extrato natural do cogumelo ‘Coriolus Versicolor’ teve também “grande eficácia” em pacientes de diversas cidades da Bulgária.

Em 2008, então diretor da Unidade de Patologia Cervical do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra, José Silva Couto revelou à Lusa que tinha realizado aquele estudo com 43 mulheres acompanhadas naquele hospital, às quais foi feito o tratamento durante um ano.

Em Portugal, o médico realizou a investigação em coautoria com o seu colega Daniel Pereira da Silva, então diretor do Serviço de Ginecologia do IPO de Coimbra.

O estudo prosseguiu depois na Bulgária, sob orientação de Todor Chernev, professor do Hospital Universitário de Obstetrícia e Ginecologia de Sofia.

Nesse país, ao longo de dois anos, a equipa de Todor Chernev efetuou o mesmo tratamento, num projeto de investigação que envolveu cerca de 200 doentes.

“Foi um trabalho de confirmação da linha de investigação iniciada em Coimbra”, salientou José Silva Couto, indicando que o estudo deverá prosseguir no futuro noutros países europeus.

Há cinco anos, em declarações à Lusa, o médico divulgou o impacto terapêutico de um comprimido à base do ‘Coriolus Versicolor’ no combate ao cancro do colo do útero, realçando que o seu “efeito imunomodulador” era conhecido em várias culturas antigas da Ásia.

“A biomassa do ‘Coriolus Versicolor’ é um imunomodulador não específico e, como tal, usada como coadjuvante nutritivo para equilíbrio do sistema imunitário em pacientes submetidos a quimioterapia e radioterapia”, segundo o especialista.

As 43 mulheres estudadas no IPO de Coimbra apresentavam lesões cervicais, provocadas pelo ‘Human Papilona Vírus’ (HPV) e confirmadas através de citologia, colposcopia e biopsia.

Ficou demonstrado que o extrato do cogumelo teve “grande eficácia, quer na regressão da displasia (lesão de baixo grau), quer no desaparecimento do HPV de alto risco”.

As doentes foram divididas ao acaso em dois subgrupos. Um dos subgrupos (22 pacientes) recebeu suplementação com ‘Coriolus Versicolor’ durante um ano, tomando seis comprimidos por dia, num total de três gramas.

As restantes 21 doentes, o denominado ‘grupo controle’, não foram abrangidas pelo tratamento.

José Silva Couto e Daniel Pereira da Silva concluíram, em resumo, que aquele suplemento alimentar, além do “impacto positivo” na regressão das lesões de baixo grau, pode ajudar também as doentes sujeitas a tratamento por lesões de alto grau, quando “o HPV de alto risco persiste após a cirurgia”.

By cancrovsvidab

Laço Humano Solidário 2013 – Inscrições abertas!

548971_426983587419864_1857070357_n

Já se inscreveu no “Laço Humano Solidário 2013”???

Para se inscrever neste grande evento solidário existem várias opções:

– De 12 a 16 de Agosto:
– Hospital de Portimão (09H00-12H30 e 14H00-17H00)
– Mercado Municipal (09H00-12H00)
– Delegação da Associação Oncológica do Algarve – Urbanização do Pimentão, Bloco 2/A Cave Três Bicos, Portimão (Segunda, Terça, Quinta e Sexta-Feira – 15H00-18H00, às Quartas-Feiras 10H00-12H30 / 14H30-17H30)

– De 12 a 17 de Agosto – Área Desportiva da Praia da Rocha (09H30-12H00)

– 14, 15 e 16 de Agosto – Centro Comercial Continente (09H30-18H00)

PROGRAMA do dia:

09H30 – Concentração dos participantes na Zona Desportiva da Praia da Rocha
09H45 / 10H15 – Formação do Laço Humano Solidário com Música
10H30 – Realização Fotográfica o Laço Humano Solidário
10H45 – Aula de Ritmos com a Prof.ª Liliana, finalizando com Flash Mob
11H30 – Sorteio de Prémios e Alocuções Finais
Participe, Seja Solidário!

By cancrovsvidab

Bebé com leucemia morreu depois de apadrinhar o casamento dos pais!

O bebé norte-americano de dois anos a quem foi diagnosticada leucemia mielóide aguda morreu nesta segunda-feira, dois dias depois de ter sido padrinho de casamento dos pais. Estes decidiram antecipar a cerimónia para que o filho pudesse assistir mas já sabiam que a vida de Logan estava por um fio.

“Está com os anjos e já não sente dor”, escreveu a mãe do bebé, Christine Swidorsky, na sua página de Facebook, a anunciar a morte do filho. Segundo a BBC, Logan Stevenson morreu nos braços de Christine e de Sean, o pai, na segunda-feira à noite, dois dias depois de ter simbolicamente apadrinhado o casamento dos dois.

A cerimónia estava marcada para Julho do próximo ano mas foi antecipada para que Logan pudesse assistir. O bebé foi diagnosticado com leucemia (cancro do sangue) pouco depois do nascimento e desenvolveu um tumor num rim. Apesar de ter sido submetido a várias operações, no mês passado os médicos davam-lhe poucas semanas de vida.

Logan chegou ao altar, em Pittsburgh, nos Estados Unidos, ao colo da mãe e assistiu, nos braços da avó paterna, à curta cerimónia. “É a realização do nosso sonho”, disse a mãe, de 36 anos, em lágrimas, a um jornal local.

O caso ganhou grande repercussão mundial, incluindo nas redes sociais, onde foi criada uma página de apoio ao bebé de Jeannette, a 25 milhas (40 km) de Pittsburg.

Logan nasceu em Outubro de 2010 e, pouco depois de fazer um ano, foi-lhe diagnosticada leucemia mielóide aguda. O bebé padeceu também de anemia de Fanconi, uma doença rara que muitas vezes conduz a casos de cancro.

By cancrovsvidab

Liga Portugues Contra o Cancro quer explicações de IPO e Governo!

O secretário-geral da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), Vítor Veloso, disse hoje que vai pedir esclarecimentos aos três Institutos Portugueses de Oncologia (IPO) e ao Ministério da Saúde sobre a alegada recusa aos doentes de medicamentos inovadores.

Em declarações à agência Lusa, a propósito de uma notícia veiculada hoje no Diário de Notícias, que dá conta de que a Ordem dos Médicos terá pedido explicações ao Ministério da Saúde sobre uma alegada recusa dos três IPO (Lisboa, Porto e Coimbra) em fornecer medicamentos a doentes com cancro, Vítor Veloso disse ter ficado muito preocupado com a situação.

“É uma situação de preocupação para a Liga porque nós somos a associação que representa mais expressivamente os doentes oncológicos e porque existem ligações muito estreitas entre os centros de oncologia”, disse.

De acordo com o Diário de Notícias de hoje, o veto dos IPO atinge alguns fármacos, considerados demasiado caros e que, alegadamente, levantam dúvidas quanto à eficácia.

By cancrovsvidab

Rastreios gratuitos ao cancro da pele em Lisboa

Vão continuar até final de agosto, em Lisboa, rastreios gratuitos ao cancro da pela promovidos pelas equipas do “Saúde Mais Próxima”, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Os especialistas estão a percorrer a capital para alertar para o perigos da exposição solar, com o apoio da Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo. Para nos falar desta iniciativa, esteve hoje na Edição da Manhã Noémia Silvério, coordenadora do programa “Saúde Mais Próxima”.

Veja a reportagem em: http://sicnoticias.sapo.pt/programas/edicaodamanha/2013/08/01/rastreios-gratuitos-ao-cancro-da-pele-em-lisboa

By cancrovsvidab

Reiki cada vez mais usado em doentes com cancro para reduzir efeitos da quimioterapia!

No Hospital de São João, no Porto, o Conselho de Administração autorizou já a aplicação de terapia reiki aos doentes oncológicos em ambulatório

A terapia reiki é cada vez mais usada em doentes com cancro em Portugal para reduzir os sintomas da quimioterapia e ajudar ao relaxamento destes pacientes, segundo médicos e terapeutas.

No Hospital de São João, no Porto, o Conselho de Administração autorizou já a aplicação de terapia reiki aos doentes oncológicos em ambulatório, sendo aplicada por enfermeiros com formação naquela terapia alternativa e em regime de voluntariado.

O reiki é uma terapia japonesa que consiste em canalizar a energia colocando as mãos em cima do corpo e pretende promover o equilíbrio global, segundo a Associação Portuguesa de Reiki.

A médica oncologista Fátima Ferreira explicou à agência Lusa que os doentes em quimioterapia submetidos ao reiki dizem conseguir aguentar melhor os efeitos secundários, como náuseas e vómitos, e acabam por sentir-se mais relaxados, aceitando melhor a sua doença.

“Tem sido uma ajuda muito positiva para os nossos doentes. Mas isto não vai substituir qualquer tratamento de quimioterapia ou radioterapia, nem é esse o objetivo. Funciona como um complemento, como uma ajuda psicológica”, indicou a médica.

No Hospital de São João este projeto foi impulsionado pela Associação de Apoio aos Doentes com Leucemia e Linfoma, com base numa investigação realizada por uma enfermeira naquela unidade que demonstrou os benefícios do reiki para os doentes com cancro.

A terapia é disponibilizada, em regime de voluntariado, por enfermeiros do hospital com formação em reiki e não é fornecida pelo Serviço Nacional de Saúde.

Este projeto, que começou no ano passado, dirige-se sobretudo para os doentes oncológicos em ambulatório, mas tem sido também aplicado a pacientes em internamento.

 Sónia Gomes, da Associação Portuguesa de Reiki, diz que existem diversos estudos científicos internacionais que “comprovam que a terapia reiki ajuda o processo de desintoxicação do organismo após a quimioterapia”.

Ainda não há dados sobre quantos doentes oncológicos em Portugal se submeteram a esta terapia complementar, mas Sónia Gomes dá conta de que têm sido assinados protocolos de colaboração com várias associações de doentes.

Exemplo disso é a Associação de Luta Contra o Cancro do Intestino — Europacolon Portugal, que passou a fornecer aos seus associados a possibilidade de terem sessões de reiki.

“Estamos ligados a uma doença que é uma tragédia, com 7.000 novos casos todos os anos e uma mortalidade superior a 11 casos por dia”, disse à Lusa o presidente da Europacolon, Vítor Neves.

Foi a partir de relatos e experiências de doentes oncológicos que esta associação chegou à conclusão de que o reiki poderia ajudar a “melhorar a vida e o conforto” de pacientes em quimioterapia.

“Decidimos, assim, disponibilizar aos nossos doentes, a custo zero, o acesso a esta terapia complementar, que pode ser solicitada através da nossa linha telefónica de apoio 808 200 199”, indicou Vítor Neves.

Segundo Sónia Gomes, da Associação de Reiki, chegam já a ser os próprios médicos a recomendar a esta terapia aos seus doentes, depois de terem observado ” bons resultados” noutros pacientes, sobretudo com benefícios a nível do humor e disposição.

Os estudos têm demonstrado “bastante sucesso” no bem-estar dos doentes em qualquer tipo de tumor, segundo indica a terapeuta: “O reiki acaba por equilibrar o sistema do corpo humano. A pessoa relaxa e isso provoca diminuição da corrente sanguínea, a oxigenação melhora e isso produz o tal estado de relaxamento profundo e de bem-estar”.

Atualmente, a Associação Portuguesa de Reiki tem cerca de uma centena de terapeutas disponíveis para fazer voluntariado a doentes oncológicos que estejam a ser submetidos a quimioterapia.

By cancrovsvidab

Grupo de mães organiza arraial solidário!

Cancro: Grupo de mães organiza arraial solidário

Um grupo de mães decidiu juntar-se para organizar um arraial de solidariedade. As mães não se conhecem pessoalmente, mas partilham experiências numa rede social e querem angariar fundos para o tratamento, no estrangeiro, de duas crianças com cancro.
Pelo nome “Grão a Grão”, este movimento de mães quer levar Leonor, de 4 anos, e Ivanoel, de 14, à Alemanha, para um tratamento que os poderá curar do cancro de que padecem.
Os dois sofrem de tumores malignos que nem uma longa estadia no Instituto Português de Oncologia conseguiu curar. A última esperança está num tratamento em terras germânicas, mas que está economicamente fora do alcance dos seus familiares.
“Pretendemos dar apoio jurídico e financeiro às famílias, para que estas duas crianças possam rapidamente fazer o tratamento de que precisam”, escrevem as mães deste movimento na sua página de Facebook.
Por isso, uniram-se e deitaram mãos à obra na organização de um arraial solidário, que irá decorrer no próximo sábado, no colégio Avé Maria, em Alcântara, entre as 10h e as 0h.

Image and video hosting by TinyPic

A organização conta já com inúmeros apoios de empresas e instituições que se quiseram juntar à causa. Haverá comida e bebida, roupa e outros bens doados para venda, música,  e atividades para crianças como jogos tradicionais, contadores de histórias, insufláveis, pinturas faciais e manicures.
Graças aos patrocínios vão ser realizado também sorteios com prémios: uma semana na ilha do Sal, em Cabo Verde, um fim de semana no Algarve, aulas de surf e bodyboard, entre outros.
O objetivo é que seja “uma festa cheia de sorrisos, os mesmos que queremos ver na cara da Leonor, do Ivanoel e das suas famílias e amigos.”
“Podemos não fazer a diferença toda, mas acreditamos que ‘grão a grão’, é possível ajudar”, refere a organização.

Clique AQUI para aceder à página de Facebook que as mães solidárias criaram para o Movimento Grão-a-Grão.

By cancrovsvidab

AOA recruta voluntários!

A Associação Oncológica do Algarve, necessita de Voluntários/as para realizar as Pré-Inscrições do evento Laço Humano Solidário que terá a sua 4ª edição no próximo dia 17 de agosto.

O voluntariado está previsto decorrer de dia 3 a 16 de Agosto, em vários pontos da cidade, incluindo no local do evento, Área Desportiva da Praia da Rocha, em Portimão.

Quem tiver disponibilidade envie, por favor, um e-mail para:
lenia-maria@aoa.pt / eventos@aoa.pt
Onde indique o nome, contacto e disponibilidade.

Muito Obrigada.

Bem-Hajam!

By cancrovsvidab